MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Mestre do Mar
Clima Selvagem
Por Redação SupClub em 01/05/19
A importância de interpretar dados meteorológicos e oceanográficos para salvaguardar a vida humana.
677x380
Frente avançando rápido pelo litoral, Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 

Como homem do mar, a primeira coisa que aprendemos desde sempre é que a coisa mais importante entre todas ao singrar o mar é: Salvaguardar a vida humana!

 

Esses últimos acontecimentos que a mídia vem divulgando, culminando com a morte da modelo Caroline Bittencourt, deve acender o alerta de quão mal preparada para tomada de decisões as pessoas estão.

840x560
Modelo Caroline Bitencourt vítima de afogamento, Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 

Seja no conhecimento empírico (aquele que se aprende com a observação – Os Vikings e os Polinésios na época deles e muitos pescadores atuais são especialistas neste quesito) ou no conhecimento teórico para interpretação de dados informados pelos órgãos oficiais, todos eles servem para mostrar quando se deve ou não se deve ir para o mar. Em se tratando de ir para o mar levando outras pessoas consigo, ou mesmo fazer eventos em locais abertos expostos as intempéries da natureza, esse conhecimento deveria ser levado ainda mais a sério para planejar as atividades e tomar as decisões.

 

Na literatura clássica das aventuras dos exploradores ou dos homens que singravam o mar por necessidade, as tomadas de decisões nos momentos críticos levaram ao sucesso ou ao fracasso – e neste caso o fracasso era perder grande parte das vidas a bordo – das atividades e projetos propostos.

550x437
Roal Amundsen e sua equipe registrando a expedição bem sucedida, Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 

Vejam o caso do Norueguês Roal Amundsen e o Inglês Sr. Scott, dois que lutaram bravamente para ser o primeiro explorador a conquistar o que seria chamado de “O último lugar da terra”, a conquista do polo Sul. Enquanto Amundsen se cercou de conhecimento, Scott se cercou de Ego, e a consequência foi o que muitos conhecem, enquanto Amundsen retornou a Noruega junto a sua tripulação ainda mais em forma do que saiu, Scott e sua tripulação não teve o mesmo destino, morreram todos.

 

O que isso tem a ver com a nossa realidade?

Bem, independente de quantas pessoas ou quão longe se vá, o NÃO ir deve ser considerado sempre!

Um marinheiro que sai com seu patrão para o mar porque ele insiste, sem expor os riscos que estão prestes a lidar, é culpado indiretamente pela morte de alguém que esteja com ele, afinal, dentro do mar, o dono da embarcação é “apenas” um passageiro e esse simples marinheiro é o comandante de todas as ações inerentes enquanto eles estiverem no mar.

720x893
Carta Sinótica do dia 28 de Abril Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 

Contudo, quantos conhecem as características de uma pancada que vem pela frente? Quantos efetivamente antes de cada saída para o mar consultam os dados de marés, de vento, de ondas fora do habitual e quando muito Wind guru ou windyty e da famosa “MAJU” do jornal nacional? Quantos sabem interpretar uma carta sinótica? Quantos olham para uma nuvem e conseguem interpretar se ela é de sol, chuva ou vento?


Isso deveria ser obrigação a todos os instrutores e donos de clubes de canoa e de escolas de SUPs.

 

Todo esse vento que soprou forte estava previsto nos avisos de mal tempo e cartas sinóticas emitidos pelo Centro de Hidrografia da Marinha.

E, estava previsto desde cedo também pelas condições do mar e vento. Desde cedo para quem foi pro mar deve ter sentido uma brisa forte de Noroeste associado a uma temperatura extremamente alta, e estas características são indícios forte de quem uma frente quente está sendo empurrada por uma frente fria que se aproxima.

Aí entra outro ponto, poucos, poucas pessoas que converso sabem exatamente onde é o Norte, Sul, Leste e Oeste em sua própria praia, quando vão para lugares desconhecidos então, isso se torna ainda mais misterioso.

Um planejamento e tomada de decisão sem esses conhecimentos tornam-se nada mais nada menos que um blefe, um achismo.

E existem ainda dois pontos muito importantes a serem levados em conta: Swell e vento de Leste tem por característica atrasar em relação ao que estava previsto, já o swell e vento de sudoeste tem a característica de antecipar em relação ao que estava previsto. E talvez esse seja o principal motivo quando ouvimos que “fomos pegos de surpresa”. Ora, atualmente com esse monte de tecnologia e sites pagos por um valor irrisório, já é possível essa previsão com cerca de 10 dias para quem acompanha diariamente a TENDÊNCIA dos fatores meteorológicos e oceanográficos. Com 3 a 2 dias, essa previsão tem altíssimo grau de precisão.

1280x719
Litoral de Ilhabela sendo castigado pela frente que causou muitos estragos neste último domingo, Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 

Para facilitar um pouco esse entendimento, vamos colocar abaixo as principais características de uma frente fria, depois colocaremos uma carta sinótica e uma breve explicação de como usar. O conhecimento mais profundo desses elementos, pode-se procurar escolas que tratam de assuntos relativos ao mar, tal como o CEM (Centro de Estudos do Mar) que fica em Jurujuba, no município de Niterói.

Vamos lá:

Características de uma frente fria:

1 – Durante quase todo o ano, as frentes levam de 48 a 72hs para se deslocar do RS ao RJ, logo acompanhar a tendência é fundamental;

2 – Quanto uma frente fria se aproxima, a pressão cai até a chegada da frente fria e sobe após a passagem (um dos principais instrumentos que existem para previsão de tempo chama-se baromentro, que mede a pressão atmosférica);

3 –Antes da chegada da frente fria a temperatura cai significativamente, depois da passagem sobe.

4 – A ronda do vento no hemisfério Sul  durante a chegada de uma frente fria será sempre:  NE -> N -> NW -> W -> SW.

5 – Se os ventos forem fortes com precipitações torrenciais, indicam frente fria com deslocamento rápido, ou seja, com velocidade de deslocamento acima de 20 nós.

6 – Já as Nuvens de chuva tem o TOPO como CBs (Cumulus Nimbus), se caracterizam pela formação de Ci (Cirrus) nas camadas superiores do Ceu, os Cirrus são os “famosos” Rabos de Galo.

1600x1067
Cumulus Nimbus, Mestre do Mar Foto: Divulgação.

 



Percebam caro leitores se essas não foram exatamente as características que antecederam a tempestade de domingo no Sudeste.

Como estava no mar, posso afirmar que vivi todas, todas as características acima, e minha estratégia foi estar de volta em terra no mais tardar ao meio dia.

Em se tratando de carta sinótica, essa sem duvida nenhuma é a forma mais precisa de se prever os fenômenos que vem pela frente, já que ela é sempre atualizada e mostra a tendência na META AREA V, que engloba do sul ao norte do Brasil.

Inicialmente pode parecer um monte de linhas e letras confusas, contudo, a medida que confrontamos o que está escrito ali e o que estamos lidando empiricamente, tudo fica mais fácil, a familiaridade a torna muito intuitiva como qualquer outra fonte de consulta.

As cartas sinóticas podem ser obtidas pelo site https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-cartas-sinoticas/cartas-sinoticas ou pelo aplicativo Boletim ao Mar, aplicativo esse oficial da Marinha do Brasil.    

Acima uma carta sinótica do dia 28/04, mostrando a frente em frente a Ilha Bela e subindo para o Rio de Janeiro, cujas linhas estão bem próximas uma das outras e praticamente fechada (Cavados) e a pressão perto de 1000 hpa (o índice base para uma pressão estável é de 1013 hpa).

As setas em azul representam a frente fria (chegando), as orientações de semi circulo vermelho representam a frente quente (saindo para o oceano), e as que contem os dois são as chamadas frentes oclusas que é o exato momento em que a frente fria encontra-se com a frente quente.

Outra fonte de informação que deve ser usada como complemento a carta sinótica são os avisos de mal tempo emitidos pela Marinha através do site
https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo e também através do mesmo aplicativo boletim ao mar.

Neste dia 28/04 havia um aviso para a área Charlie de ventos com força 7/8 (aproximadamente 40 nos ou 80 km/h) de NW a SW. Nosso litoral é divido por áreas A (Alfa – Rio Grande do Sul), B (Beta – compreendendo a zona oceânica entre o litoral de SC e RJ), C (Charlie, litoral de SC até o RJ), D (Delta – compreendendo o litoral norte fluminense do RJ até o litoral Sul da BA), E (Echo –litoral centro norte da BA), F (Foxtrot - litoral norte da BA, até o Estado RN), G (Gulf –litoral CE a MA) e por fim H (Hotel – litoral Norte do Brasil).

Portanto, como pode se observar, todos esses acidentes que resultaram em perda da vida humana ou incidentes que quase tiveram o mesmo desfecho poderiam ter sido evitados com uma análise profunda dos dados emitidos pelas autoridades marítimas.

Dizer que foi pego de surpresa é uma desculpa de quem ignora o conhecimento,  e quem vai para o mar não pode se dar “esse luxo”, pois isso chama-se irresponsabilidade.

Levar alguém consigo para o mar demanda ainda mais foco no planejamento e ter uma capacidade de decisão muitas vezes apenas sua, indo de encontro com todos os demais caso esteja realmente vendo um problema a frente através da movimentação dos elementos da natureza, mesmo que e em uma hipótese cada vez mais remota, não estando previsto nos sites e avisos de mau tempo.

O Capitão Pollard do navio Essex (a verdadeira história que inspirou Moby Dick) matou inúmeros homens de sua trupulação após o naufrágio desse mesmo navio pois ouviu seus dois imediatos e tomou a decisão de voltar contra o vento para a América do Sul ao invés de ter seguido os ventos alíseos do pacifico e que o teria levado para a costa das ilhas ao redor do triangulo Polinésio. Detalhe, a ideia inicial dele era essa, e seus dois imediatos Chase e Joy o persuadiram a fazer o contrário. O resultado? Dezenas de seus homens morreram e os que foram resgatados comiam ossos humanos para sobreviverem!

Pensem nisso antes de ir novamente para o mar e ser pego de surpresa por uma tempestade e/ou ventania!

 

MAIS IMPORTANTE QUE O IR SERÁ SEMPRE O VIR!

 

Grande Aloha,

Douglas Moura

Remador e mestre amador.

Instagram: aloha_douglas_;

Facebook: Douglas Moura 

Douglas conta com os apoios – @Evoke eyeswear; @PuroSuco.oficial;@RaldreiNatividade fisioterapia esportiva; @Rpilates; @AcademiaNiteroiSwim; @IcarahyCanoa;

Alem disso, desenvolve treinamentos focados em navegação segura. 

 

Veja também
Leitura Dinâmica

Leitura Dinâmica

Pontos importantes antes da competição

Doctor SUP

Doctor SUP

Reforço muscular

Doctor SUP

Doctor SUP

Gelo vs Calor

Leitura Dinâmica

Leitura Dinâmica

SUP um esporte para todos

Por dentro do SUP

Por dentro do SUP

Treinamento: empirismo vs ciência

Doctor SUP

Doctor SUP

Pesquisas científicas em SUP

Por dentro do SUP

Por dentro do SUP

Atleta amador e eventos

Doctor SUP

Doctor SUP

Overtraining e Overuse

Doctor SUP

Doctor SUP

Roupas térmicas

Papo Reto

Papo Reto

Michel de Carli Ferreira

Doctor SUP

Doctor SUP

Colete Salva-vidas

Doctor SUP

Doctor SUP

Comunicação na água

SUP Surviver

SUP Surviver

Localização na água

Doctor SUP

Doctor SUP

Michel de Carli Ferreira

Doctor SUP

Doctor SUP

Rastreador de GPS

Doctor SUP

Doctor SUP

Givago Ribeiro