MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Competições
1ª Etapa do Circuito Cearense de SUP Race
Por Alexandre Nogueira em 13/04/17
Águas Belas Selvagem da à largada à primeira prova de SUP race sob a nova gestão da ASUP-CE. Evento contou com competições e clínicas voltadas ao stand up paddle. Confira o balanço da etapa.
Visual paradisíaco da Praia de Águas Belas, Município de Cascavel. O cenário perfeito para a prática do Stand Up Paddle. Foto: Wládia Nogueira.
Visual paradisíaco da Praia de Águas Belas, Município de Cascavel. O cenário perfeito para a prática do Stand Up Paddle. Foto: Wládia Nogueira.

Uma praia paradisíaca, localizada a apenas 60 km de Fortaleza, visual de tirar o fôlego, condições climáticas favoráveis e uma galera animada e motivada para competir, em uma vibe pra lá de especial no primeiro evento oficial promovido pela nova gestão da Associação de Stand Up Paddle do Estado do Ceará – ASUPCE, a 1ª Etapa do Circuito Cearense de Stand Up Paddle Race Águas Belas Selvagem. Localizada no Município de Cascavel, Águas Belas faz parte da chamada Rota das Falésias, tradicional roteiro turístico do litoral cearense, visitada por gente do Brasil e do exterior, incluindo os praticantes dos esportes náuticos de uma forma geral.

 

Se dentro d’água as emoções estavam por vir, fora da água muitas novidades e inovações foram postas em prática por parte da organização. As atividades começaram na 6ª feira, dia 7 de abril, com uma série de palestras. O presidente da ASUPCE, Alexandre Nogueira, abriu os trabalhos falando sobre a importância da associação para o desenvolvimento do esporte e apresentou o planejamento 2017 e diversos projetos programados, que incluem, além das competições propriamente ditas, ações sociais, remadas ecológicas, clínicas para iniciantes, SUPTRIPS, SUP Yoga, SUP Pilates, SUP Dog, SUP Adaptado e a aproximação da ASUPCE com as Universidades para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao SUP em diversas áreas (Educação Física, Oceanografia, Educação Ambiental, História, Turismo, Geografia, dentre outras).

 

O profissional da área de educação física e atleta da elite do SUP Race Cearense, Paulo Vasco, palestrou sobre a importância do adequado condicionamento físico dos praticantes e adeptos do SUP, em especial para quem deseja competir em alta performance.

 

Com uma prancha race e remo nas mãos, a palestra virou uma verdadeira clínica, com muita participação dos presentes tirando dúvidas e aprendendo com as preciosas dicas do campeão cearense, que não escondeu o jogo e mostrou todo o seu conhecimento. O ciclo de palestras teve sequência com a Médica Evenete Marson, atleta de SUP Funrace, que abordou a importância do SUP para a saúde física e mental dos praticantes, relatando, além de sua experiência profissional, a sua trajetória no SUP e a melhoria de sua qualidade de vida.

 

O Ex-Presidente da ASUPCE, Miguel Nobre, encerrou o ciclo abordando os erros e acertos associativos, abordando a sua experiência, avanços e dificuldades quando esteve à frente da associação.

 

Ainda na sexta feira ocorreu o Congresso Técnico da 1ª etapa, ocasião em que os competidores deliberaram por maioria de votos sobre a escolha do percurso, direcionamento, distâncias e balizamento, corroborados pela organização. Foi a oportunidade de visualizar através de imagens aéreas o local da competição, além da análise das áreas de platéia, entrada e saída dos competidores, escape, condições de vento, correnteza e maré, dentre outros aspectos técnicos.

 

No sábado pela manhã, conforme programação previamente estabelecida, o ponto alto foi a presença de cerca de 30 crianças que compõem o Projeto Social Surf na Escola, coordenado por Marcos Farney.

 

O projeto é desenvolvido na praia da Caponga, vizinha a Águas Belas, e representa um grande diferencial na vida das crianças, cuja formação escolar é complementada por meio de uma visão cidadã, ecológica e solidária através do esporte. Os atletas Miguel Nobre, Guilherme Júnior, Renato Rosário e Sânio Loureiro fizeram um bate papo de incentivo para os membros do projeto, na própria areia, relatando suas trajetórias no SUP e incentivando a todos a também se iniciarem no esporte.

 

A clínica para iniciantes foi ministrada pelos instrutores Douglas Castor e Jefferson de Paula. A maioria dos garotos teve contato com uma prancha de SUP pela primeira vez. Os frutos dessa atividade é que 3 deles já competiram na categoria kids e fizeram bonito, se equilibrando e evoluindo na água de forma admirável. A diretoria da ASUPCE assumiu o compromisso de retornar à Águas Belas para disponibilizar pranchas que permitam treinamento das crianças e que fomentem o aparecimento de novos talentos.

 

Para o instrutor Douglas Castor, o principal eles já tem: vontade e um campo de treinamento natural no “quintal” de casa, restando treinar e treinar. A manhã foi complementada com a realização de uma remada recreativa, ocasião em que os competidores aproveitaram para fazer o reconhecimento do pico e o próprio aquecimento para as provas.

 

No início da tarde, após pegar o seu kit, cada competidor preencheu uma ficha de avaliação médica, respondeu a um criterioso questionário de saúde e ainda teve aferidos os seus sinais vitais. A médica, atleta e diretora da ASUPCE, Evenete Marson, conduziu a avaliação e segundo ela, além da importância em si do cuidado da associação em preservar e valorizar o atleta, será traçado um perfil do competidor cearense de SUP, envolvendo desde as condições físicas até a análise de suas condições sócio-econômicas. Importante ressaltar que a organização contou ainda com a presença de Membros da Capitania dos Portos do Ceará, que foram conferir in loco a realização da prova, o que mostrou a seriedade com que a ASUPCE tem pautado a sua atuação ao respaldar as suas atividades e oficializar as mesmas aos órgãos competentes.

 

Além disso, a Prefeitura Municipal de Cascavel disponibilizou ambulância, salva vidas e reforço do policiamento local a fim de assegurar condições plenas para a competição em todos os seus mínimos detalhes. A equipe do NAPH, Núcleo de Atendimento Pré-Hospitalar, do próprio Município de Cascavel, também se fez presente para garantir a segurança dos competidores e participantes do evento, com equipe para resgate em terra e em água.

 

Por volta das 15h, maré cheia, foi hora de muita pá na água. Um total de 40 atletas, dentre homens e mulheres, nas categorias kids, iniciante, amador, open/pro e master deram um show nas reluzentes Águas do Rio Mal Cozinhado, fazendo jus ao nome da prova: Águas Belas Selvagem. Beleza natural não faltou como “pano de fundo”, proporcionando um visual de tirar o fôlego para a grande platéia presente.

 

Mar, ondas, coqueirais, jangadas, mangues, dunas e bancos de areia conferiram à prova um cenário indescritível, eternizado em milhares de imagens captadas nas lentes dos fotógrafos. Um toque especial e original da etapa foi que as tradicionais bóias de marcação da raia foram substituídas pelas belas jangadas de pescadores locais da colônia Z-10, contribuindo mais ainda para conferir o tom regional à competição.

 

Para o Presidente da ASUP-CE, Alexandre Nogueira, a escolha pelas jangadas não poderia ter sido mais feliz, pois além de fazerem parte da cultura e cenário local, ainda se valorizou os pescadores da região na medida em que os mesmos foram remunerados para ceder e permanecer nas jangadas durante as provas. Os pescadores ainda prestaram auxílio com barcos de apoio devidamente cadastrados na Capitania dos Portos do Ceará.

 

As provas foram marcadas por muita competitividade, emoção e exaustão dos atletas. Na categoria kids a raia possuía 200 metros, iniciante 2km, amador 4km e open/pro 8km. Competidores master estiveram presentes nas categorias iniciante, amador e open/pro. Quem estava bem condicionado, além de dominar as condições de vento e correnteza, levou vantagem, completando a prova na frente dos demais em suas respectivas categorias.

 

A categoria open/pro masculino foi marcada por grandes disputas e variações nas colocações durante o decorrer da prova. O próprio campeão Paulo Vasco não teve moleza, partindo atrás dos atletas Sânio Loureiro e Guilherme Júnior, que sustentou a liderança nos primeiros 500 metros. Outros competidores open/pro fizeram uma bela prova, com seguidas ultrapassagens. Ao final a sequência de colocações foi: Paulo Vasco, Guilherme Júnior, Douglas Castor, Tom Amorim, Sânio Loureiro, Marcos José, Haroldo Máximo, Miguel Nobre e Alexandre Nogueira.  Os competidores chamaram atenção do público presente pela desenvoltura e velocidade sobre a prancha, em especial nos contornos das jangadas, onde demonstraram muita habilidade e preparo. Não à toa representam a elite do SUP cearense.

 

Após provas “cascas grossas”, os atletas tiveram merecido descanso nas piscinas do hotel oficial do evento e ao fim da noite foram brindados com um belo forró pé de serra, típico final das noites cearenses.

 

Complementado as provas Race e Funrace, o domingo foi reservado para os Sprints, perfilando-se de dois em dois os competidores em cada categoria. Disputas acirradas, que contaram com maciça participação e vibração efusiva da platéia, marcaram os sprints, cuja pontuação foi somada às obtidas no dia anterior para se chegar a uma média que determinou as colocações. No domingo também ocorreu talvez a mais emocionante das provas, a open/pro feminino. Três competidoras da elite do SUP Cearense proporcionaram uma emocionante disputa, prancha a prancha, e nos detalhes a prova foi definida na última volta do circuito.

 

Ao final, a Médica Mari Maricato, que acabara de chegar de um plantão diretamente para a competição, foi a grande vencedora, mostrando completo domínio e equilíbrio sobre a prancha e uma remada controlada e efetiva. Em segundo lugar ficou Creusa Chaconi, que, apesar de recente e grave contusão, brilhantemente completou a prova e em terceiro lugar Regina Lúcia, que estava longe dos treinos por conta de lesão, mas que também fez bonito e “voou” na prancha.

 

No domingo à noite o auditório do hotel oficial do evento ficou completamente lotado de competidores e familiares para a cerimônia de encerramento e premiações. Vários brindes foram sorteados entre os presentes, ofertados por apoiadores. O grande momento foram as premiações, ocasião em que se materializou o esforço dos participantes e a recompensa por toda a preparação dispensada para chegar bem na competição.

 

De forma resumida pode-se dizer que a 1ª etapa do circuito cearense de SUP Race foi uma quebra de paradigmas em termos de organização e congraçamento entre os participantes. Um ambiente amistoso, de confraternização e ao mesmo tempo de muita competitividade e respeito, o que contribuiu para abrilhantar mais ainda a etapa.

 

O Presidente da ASUPCE, Alexandre Nogueira, mostrou-se satisfeito com o impacto do evento, que contou com grande participação de atletas, cobertura da imprensa local e ampla interatividade com a população, gestores do município e comerciantes locais. Segundo ele, a impressão que se tem é que todos que timidamente abraçaram o evento passaram a olhar diferente para o stand up paddle e já se preparam para receber todo o trade do SUP cearense dentro em breve.

 

Alexandre reconhece que, apesar de ter muito a comemorar, mais ainda tem a se evoluir na organização, aprender com os erros e falhas para que os mesmos não se repitam e que isso é papel não somente dos diretores, mas de todos os associados. Acredita que as críticas serão extremamente bem vindas para os organizadores aperfeiçoarem os trabalhos futuro, em especial aquelas que apontem sugestões e caminhos para que melhorias sejam implementadas.

 

Segundo o Vice-Presidente da ASUPCE, Paulo Marcelo Porto, a maior dificuldade dos organizadores é a limitação financeira, o que gera dificuldades para se adotar cronometragem eletrônica e maior número de pessoal para apoio nas provas propriamente ditas por exemplo. Suas palavras são corroboradas pelo Diretor Técnico da associação, Carlos Leite, ao afirmar que os desafios são enormes, mas que a busca pela excelência na arbitragem é meta prioritária da entidade em prol do máximo rigor e controle dos tempos de cada competidor. Ele agradeceu a compreensão dos atletas diante das dificuldades técnicas, e ao mesmo tempo aponta que o zelo e a boa vontade em fazer o melhor foram colocados em prática.

 

O Diretor de informática Clylton Torquato, que controlou todo o acesso às inscrições online, informa que a nova home page da ASUPCE está prestes a ir pro ar e que muitas novidades virão para facilitar mais ainda a interatividade com os associados e público em geral.

 

Por fim, gostaríamos de parabenizar aos organizadores e participantes da 1ª etapa do circuito cearense de SUP Race, na certeza que o nome do SUP Cearense está marcado em definitivo no calendário dos grandes eventos de SUP no Brasil. E que venha a 2ª etapa nos dias 10 e 11 de junho na famosa praia do Mucuripe em Fortaleza. Prenúncio de boas disputas e muita competitividade, além das atividades complementares.

 

Agradecimentos especiais à Fotógrafa Wládia Nogueira, que gentilmente cedeu as imagens para a ASUP-CE.

 

 

Veja também
CBSUP

CBSUP

Gui e Lena bicampeões brasileiros de SUP race

CBSUP

CBSUP

Inscrições para o IWC vão até dia 20

CBSUP

CBSUP

Confira as baterias do Brasileiro de Sprint

CBSUP

CBSUP

Brasileiro de SUP Race na reta final

PASA 2017

PASA 2017

Brasil convoca atletas para o Pan-americano de SUP

APP World Tour

APP World Tour

APP World Tour anuncia campeões de 2017

Aloha Spirit Festival

Aloha Spirit Festival

Aloha Spirit prepara novidades para 2018

CBSUP

CBSUP

Último dia para inscrever-se no Brasileiro de SUP

CBSUP

CBSUP

Balanço do Ubatuba Grand Slam

CBSUP

CBSUP

IWC fará primeiro Brasileiro de SUP Foil da história

CBSUP

CBSUP

Gui dos Reis e Lena Guimarães vencem em Ubatuba

CBSUP

CBSUP

Caio Vaz e Aline Adisaka vencem em Ubatuba

CBSUP

CBSUP

Começa o Brasileiro de SUP

Competições

Competições

Tríplice Coroa 2018 com inscrições abertas

CBSUP

CBSUP

Programação do Ubatuba Grand Slam

Competições de SUP

Competições de SUP

Itacaré Paddle Race