MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
ICF Stand Up Paddle World 2018
Mundial de SUP cancelado
Por Alex Araujo em 02/08/18
Tribunal Português de Arbitragem do Desporto determina ilegalidade do Campeonato Mundial de Stand Up Paddle da ICF em Portugal.
1376x675
FPS cancela o mundial da ICF em Portugal. Foto: Divulgação

 

A Federação Portuguesa de Surf (FPS) é a única federação nacional com competência para organizar e autorizar eventos de SUP em Portugal.

 

A pedido da Federação Portuguesa de Surf (FPS), o Tribunal de Arbitragem de Desporto de Portugal decretou uma injunção contra a Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), ordenando-lhe que se abstenha de organizar, colaborar ou dar apoio ao ICF Stand Up Paddling World 2018. Campeonato  agendado para 30 de Agosto a 2 de Setembro, em Viana do Castelo,  que contornou as leis do desporto. Para João Aranha, presidente da FPS, "esta é uma decisão que defende o esporte, sua história e as competências exclusivas de nossa federação. Acredito que é um marco fundamental que ajudará na disputa internacional pelo esporte".

Reconhecendo a competência exclusiva da FPS para organizar e autorizar eventos Stand Up Paddle em Portugal, o Tribunal de Arbitragem do Desporto de Portugal confirmou que os Campeonatos Mundiais de Stand Up Paddle 2018 da ICF não têm opinião prévia e obrigatória da FPS para serem legalmente organizados. Uma vez que este parecer não foi requerido, e sendo assim, será fundamentalmente rejeitado pelo FPS, conclui-se que os Campeonatos Mundiais de Stand Up Paddle 2018 da ICF são ilegais segundo a lei portuguesa.

900x600
ISA dá um grande passo para a administração Global do SUP. Foto: Divulgação

 

Com a decisão do Tribunal Português de Arbitragem do Desporto, a Federação Portuguesa de Canoagem continua impedida de ver a sua equipe técnica a participar no evento, o que implica a exclusão de Marcos Oliveira da coordenação técnica do evento (que havia sido anunciado pelo ICF), e a impossibilidade de participação de juízes nacionais no evento. Da mesma forma, o Tribunal Português de Arbitragem do Desporto determinou que é impossível que o evento beneficie do apoio público concedido pelo Instituto de Desporto e Juventude ou pelos Conselhos Municipais de Esposende e Viana do Castelo.

Segundo os advogados da 14 Sports Law, empresa que representou a FPS nesta disputa, essa decisão "certamente terá impacto sobre a disputa internacional que se opõe ao surfe, uma modalidade que tradicionalmente deu origem e crescimento ao Stand Up Paddle, ao caiaque". Também “afirmará Portugal como um estado de direito, confirmando a proteção exclusiva do FPS como reconhecido pelas instituições competentes, rejeitando a organização de um evento fora das leis aplicáveis”.

A decisão do Tribunal Português de Arbitragem do Desporto pode ser objeto de recurso, o que, no entanto, não tem efeito suspensivo sobre a decisão.

Comunicado: FPS

Veja também
Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Assista ao vivo!

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Brasileiros seguem na disputa

Leitura Dinãmica

Leitura Dinãmica

Companhias aéreas x usuários

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Festa Brazuza

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Assista ao vivo!

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Boletim Day #2

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Red Bull Expression Session

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Boletim day #1

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Leco bota pressão

Canarian Sup Race

Canarian Sup Race

APP World Tour apoia evento.

Gran Canaria Pro

Gran Canaria Pro

Tops já estão nas Canárias

Paris SUP Open

Paris SUP Open

Arthur Arutkin e Shae Foudy garantem o título 2018 da APP World Tour.

Por dentro do Tour

Por dentro do Tour

O mundo de olho nas Canárias

Pan-Americano de Surf e SUP 2018

Pan-Americano de Surf e SUP 2018

Diniz é prata em Punta Rocas

Pan-Americano de SUP 2018

Pan-Americano de SUP 2018

Lena e Vinni garantem vaga

Yatch Sup Race

Yatch Sup Race

Etapa definiu os campeões