MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Eco SUP
Lixo mata mais de mil tartarugas em SP
Por Redação SupClub em 13/07/17
Dados do Instituto Argonauta apontam que desde 2016 mais de mil tartarugas marinhas foram mortas por ingestão de lixo no litoral de SP. Estimativas são alarmantes e revelam que é preciso mais cuidado com o descarte. Saiba mais.
530x349
Materiais como o plástico acabam por confundir as tartarugas que o confundem com alimento por conta de sua textura. Foto: Reprodução.

 

Velhas conhecidas de quem frequenta as praias do nosso litoral, seja para para remar ou surfar, as tartarugas marinhas em São Paulo, infelizmente, estão sendo mortas por mero descaso. Só no litoral Norte deste estado, quase mil tartarugas foram encontradas mortas por ingestão de lixo, em 2016. Em 2017, já foram registradas cerca de 300 mortes, de acordo com dados do Instituto Argonauta, uma ONG voltada a pesquisas e conservação marinha, sediada em Ubatuba. O último caso que se tem notícia é de uma tartaruga capturada morta em uma praia de Caraguatatuba, por ter ingerido uma grande quantidade de pedaços de bexiga.

 

“Provavelmente, essa tartaruga se alimentou da bexiga por confundi-la com a água-viva, que é seu alimento natural. O plástico, infelizmente, é também outro tipo de material muito comum nos oceanos e que deixa as tartarugas igualmente confusas, e por isso é uma das principais causas de morte entre elas”, explica o Biólogo João Alberto Paschoa do Santos, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS).

 

Por ano, estima-se que até 8 milhões de toneladas de plástico são despejados no mar em todo o mundo. “Se levarmos em conta que o tempo de decomposição do plástico é de aproximadamente 400 anos, com essa poluição se repetindo a cada ano, o homem está causando um estrago praticamente irreversível ao meio ambiente. Se não pararmos já com isso, vamos liquidar de vez com a vida marinha”, alerta o Biólogo.

 

Mas, além do plástico, outros tipos de lixo também oferecem riscos à vida nos oceanos. Confira abaixo os principais vilões do mar e o tempo de decomposição de cada um deles:

 

– Papel: de 3 a 6 meses
– Tecido: de 6 meses a 1 ano
– Filtro de cigarro: mais de 5 anos
– Madeira pintada: mais de 13 anos
– Nylon (linha de pesca, por exemplo): mais de 20 anos
– Alumínio (lata de refrigerante, por exemplo): mais de 200 anos
– Plástico (garrafas pet, por exemplo): mais de 400 anos
– Vidro (vasilhames, por exemplo): mais de 1000 anos
– Borracha (pneus, por exemplo): tempo indeterminado

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja também
Eco SUP

Eco SUP

SUP Race com material reciclado

Eco SUP

Eco SUP

Remada ação Clean Up

Eco SUP

Eco SUP

Jundiaí convoca a galera do SUP

SupClub

SupClub

Remadores relatam salvamento de tartarugas marinhas em redes de pesca

SupClub

SupClub

Semana Mundial do Meio Ambiente

SupClub

SupClub

Rio + Verde 2015

SupClub

SupClub

Projeto Expedição Billings Problemas e Soluções

SupClub

SupClub

Remando no sul de Minas

SupClub

SupClub

II Eco SUP Salvador

SupClub

SupClub

SUP cidadão

SupClub

SupClub

Remada pela preservação

SupClub

SupClub

SUP no Rio Pinheiros?

SupClub

SupClub

Ação ambiental na Billings

SupClub

SupClub

Remadas e educação ambiental

SupClub

SupClub

Limpeza da Ilha das Cabras