MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Entrevista
SUP Entrevista - Mauricio Thompson
Por Luciano Meneghello em 15/11/16
Um dos grandes nomes do SUP race brasileiro na categoria Master fala sobre sua relação com o esporte e sua nova parceria com a Xerife Stand Up. Confira.
960x720
Mauricio Thompson testa seu novo foguete Xerife Stand Up em seu "home spot", Copacabana, no Rio de Janeiro. Foto: Arquivo.

 

Aos 42 anos o carioca Mauricio Thompson é advogado e pais de três filhos, mas também um dos grandes nomes do SUP race brasileiro na categoria Master. Na entrevista a seguir, ele fala um pouco sobre sua história com o SUP, dá conselhos para quem está na dúvida se se já passou da idade para competir e fala sobre sua parceria com a Xerife Stand Up, sua nova patrocinadora de pranchas. Confira. 

 

Como e onde foi seu primeiro contato com o SUP?

 

Meu primeiro contato com o SUP foi há uns cinco anos, em Geribá, Búzios (RJ), em um dia de marolas. Vi uns caras se divertindo na vala de stand up e resolvi alugar um 10" para brincar e logo na primeira marola me apaixonei. Naquela época estava com uma grave lesão no ombro que havia me tirado do surf e das lutas e comecei a praticar esse esporte como uma espécie de fisioterapia e também para manter a forma. E hoje estou aqui, praticamente um “SUPmaníaco” (risos)

 

539x960
Mauricio Thompson em mais um pódio alcançado. Foto: Arquivo.

Que esportes você praticava antes de remar de SUP?

 

Sempre pratiquei esportes e gostei de competir. Cheguei a competir no futevôlei, bodyboard, surfe e Jiu-Jitsu. Depois de um tempo percebi que estar em contato com a água salgada era o que me despertava um prazer especial.

 

Como foi seu início nas competições?

 

Essa é uma história engraçada! No início de 2013 estava surfando de SUP no point que rola umas ondas aqui em Copa e um amigo, que estava fazendo uma competição de Fun Race neste dia, me convidou para competir sem compromisso, mas nem eu, nem ele, imaginávamos que no final eu ganharia a competição! (risos) Depois disso ele me convidou para treinar SUP e começar a competir. Iniciei nas competições no mesmo ano e fui campeão do Circuito Aloha Spirit na Race 12'6” amador. Tive outros bons resultados como um 3° Lugar no BOP Brasil, 3° no W2 Downwind Búzios x Cabo Frio e 3° na última etapa do Brasileiro, na categoria 14" Open. Em 2015, fui campeão estadual invicto na categoria Unlimited. Em 2016 estou entre os Top 11 do Brasil e Top 2 da Master, tecnicamente empatado com o líder pelo sistema de descartes, além de ter sido campeão dos Jogos Cariocas de Verão, das duas etapas do Rei e Rainha do Mar e bicampeão do Desafio Rio 34.1 “Do Leme ao Pontal” na categoria Master (40+).

 

Recentemente você passou a treinar com o Marcio Adriani, que além de atleta de ponta, vem se destacando como treinador. Fale um pouco sobre essa parceria...

 

Sim. Treinava com o Marcelo Esquilo, que também é um ótimo profissional. Completamos um ciclo e tivemos uma parceria vitoriosa que durou até o primeiro semestre de 2016. Depois passei a treinar com o Marcio Adriani, o Marcinho, que é oriundo da mesma escola, também é atleta profissional e meu parceiro nos treinos. Estou gostando muito do trabalho que ele vem fazendo comigo.

 

720x960
Durante a segunda etapa do Brasileiro 2016, onde está na briga pelo título da Master. Foto: Arquivo.

Fale sobre a sua nova parceria com a Xerife Stand Up e quais são seus planos para 2017?

 

Estou muito feliz com essa nova parceria com a Xerife Stand Up porque, sinceramente, eu acho que para qualquer parceria dar certo tem que rolar uma vibe, uma identidade com as pessoas. Isso vai além do fato de serem exímios competidores ou não. O Moisés (Xerife) é um cara sensacional, um amigo que fiz no SUP e por isso aceitei a parceria. Eu já remei em quase todas as pranchas race disponíveis por aí e, aos 42 anos, meu foco em 2017 será disputar apenas os campeonatos com os quais eu me identifico e, paralelamente, desenvolver junto com a uma race Top de linha, comprovadamente melhor, mais rápida e mais acessível do que as gringas. Por que pagar R$ 15.000,00 numa prancha se podemos ter uma melhor aqui e por menos da metade desse preço?

 

Que conselhos você dá para aquela pessoa que já passou dos 30 e está na dúvida se conseguiria competir de SUP?

 

O segredo de competir no SUP como em qualquer esporte é o treino. E a diferença do SUP para os outros esportes é que você consegue ter prazer em treinar SUP. Tem coisa melhor que estar no mar, com uma vista privilegiada e ainda deslizando por cima da água? (risos)

 

Veja também
Perfil SUP Race

Perfil SUP Race

Ela é Bárbara!

Perfil SUP Race

Perfil SUP Race

O 'Animal' está de volta

Padleboard Entrevista

Padleboard Entrevista

Patrick Winkler na expectativa da M2O

Alzair Russo

Alzair Russo

A vida entre pranchas e treinos

Entrevistas

Entrevistas

Planos de 2017 para Americo & Lena

Perfil

Perfil

Perfil – Tristan Boxford

Entrevistas

Entrevistas

Entrevista - Guilherme dos Reis

Perfil

Perfil

Kauan Terra agradece 2016

Entrevistas

Entrevistas

SUP Entrevista - Lena Guimarães

Mundial de SUP

Mundial de SUP

SUP Entrevista - Caio Vaz

Atletas

Atletas

SUP Perfil – Eri Tenório

Entrevistas

Entrevistas

SUP Entrevista - Miguel Nobre

Atletas

Atletas

SUP Entrevista - Paty Mesquita

Perfil

Perfil

Kauan Terra

SUP Wave

SUP Wave

Entrevista - Tom Carroll