MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Atletas
SUP Entrevista - Paty Mesquita
Por Luciano Meneghello em 29/10/16
Na briga pelo título brasileiro de 2016 na Fun Race, atleta conta sua relação com o SUP e fala sobre a campanha que lançou para conseguir ajuda para competir no Pantanal Extremo. Confira.
821x456
Na briga pelo título brasileiro da Fun Race, Paty sabe que é fundamental participar do Pantanal Extremo. Foto: Arquivo pessoal.

 

Na briga pelo título brasileiro de 2016 na categoria Fun Race, essa simpática alagoana radicada em Rio das Ostras (RJ) bate um papo com nosso editor chefe, Luciano Meneghello, onde fala sobre seu primeiro contato com o stand up paddle, seu trabalho com a Ostras Surf & SUP e explica como os interessados podem ajuda-la a cobrir as despesas com a 4ª etapa do Brasileiro de SUP race, o Pantanal Extremo, que acontece no mês de novembro em Corumbá (MS).

 

Como o SUP entrou na sua vida?

 

Quando eu vi uma prancha de SUP pela primeira vez foi em Maceió (AL), onde eu morava. Mas não existia barraca de aluguel ou escolinha, era de alguém que tinha comprado. Então viajei para Rio das Ostras (RJ) para competir de bodyboarding e passar o carnaval de 2015. Só que o meu dinheiro acabou, porque é tudo muito caro! (risos)

Consegui então um trabalho temporário em um quiosque em pleno carnaval, na praia de Costa Azul, e ganhei muita grana! (risos)

 

Enquanto eu trabalhava o Rafael (Carvalho de Vasconcellos) que é o proprietário e instrutor da Ostras Surf & SUP, estava divulgando a escolinha e falei com ele da vontade que tinha de remar, então ele me convidou e lá foi Paty, dar a sua primeira remada. E foi muito irado! A vista de cima, a sensação de poder ir mais longe, de desbravar esse marzão e ainda poder surfar?! Não teria como não se apaixonar!

Você então praticava bodyboard antes de remar de SUP?

 

Sim, durante 10 anos peguei onda de Bodyboarding e competia muito, principalmente no Nordeste. Mas tive que parar de competir pra cursar a faculdade de Publicidade e Propaganda. Depois de formada, trabalhei na área, mas não aguentei e voltei para o mar. Voltei aos treinos e a competir novamente, até vir parar em Rio das Ostras.

E porque você se mudou para Rio das Ostras?

 

Depois de ter remado a primeira vez, fiquei realmente interessada e o Rafael foi me falando mais sobre o esporte. Ele me contou sobre o início, a história do SUP aqui no Brasil, que as competições e as pessoas que faziam parte deste esporte realmente acreditam, valorizam e fazem acontecer para esporte crescer.

Então ele me ofereceu uma bolsa na escolinha Ostras Surf & SUP, para que eu pudesse treinar e competir representando a escolinha. Na mesma hora liguei para a minha mãe e avisei que não voltaria para casa! (risos)

 

Aceitei a proposta e acreditei fielmente em todas aquelas palavras. Dormi e morei em casas de alguns amigos, passei muitooo perrengue, porque tinha que arrumar um trabalho, para poder me manter e treinar numa cidade que não conhecia. Mas graças a Deus, depois de muitos obstáculos e superações, hoje trabalho na escolinha como instrutora, treino e tenho meu lugarzinho para morar, graças a Deus!

 

960x540
Paty Mesquita à frente de seu instrumento de trabalho. Foto: Arquivo pessoal.

 

Fale um pouco sobre seu dia a dia

 

Acordo todos os dias às 06h00 da manhã e vou para Escolinha Ostras Surf & SUP, faço meu treino matinal e depois trabalho dando aulas, fazendo passeios e treinando os nossos futuros atletas das 08h00 às 19h00. Quando saio da escolinha à noite, vou para academia das 20h00 às 22h00 para fazer um trabalho de fortalecimento e de condicionamento físico. E no meu dia de folga vamos surfar, treinar e academia.

Como funciona a escolinha onde você dá aulas em Rio das Ostras?

 

540x468
Paty ao lado do amigo e incentivador Rafael Carvalho de Vasconcellos frente à escolinha em Rio das Ostras. Foto: Arquivo pessoal.

A Escolinha Clube Ostras Surf & SUP funciona de terça a domingo das 08h00 às 19h00. Oferecemos das primeiras remadas até o pódio, aulas de Surf & SUP, pacote mensal, passeios, aluguel e venda de equipamentos. O aluno paga uma mensalidade onde tem direito a frequentar todos os dias a escolinha e escolher o segmento que deseja: Se deseja aprender a remar para se aventurar sem medo, se deseja aprender para remar sem compromisso e tem aqueles que querem remar e descobrem a vocação para as competições e acabam fazendo parte da equipe nos treinos diversificados e planilhados.

 

Daí, de terça a sexta, o aluno faz aulas práticas com o instrutor e nos fins de semana é remada livre, onde poderá praticar mais livremente seu contato com o SUP, pois já praticou a semana toda. Fazemos também Fucional e Pilates, tudo voltado para o stand up paddle.

 

E você estreou nas competições de SUP em 2015 certo? Como foi?


Isso. Após começar a treinar, aos dois meses foi a minha primeira competição. O mar estava gigante e vento forte lá em Macaé, fiquei em 2° lugar. Depois desse campeonato vi que tava no caminho certo e me dediquei mais os treinos e aos campeonatos. E ao decorrer do ano e das vitórias obtidas, conquistei meu segundo patrocinador (porque o 1° já é a escolinha !): a Doctor Surf, de Cabo Frio (RJ), onde ganhei o meu primeiro remo de Carbono, porque competia com um remo de alumínio e pá plástico. E logo em seguida à Doctor veio a minha primeira prancha de competição, uma Fun Race 12´2” com 28”. Antes eu competia era uma Fun 11 pés com 33” de meio. E com tudo isso acontecendo finalizei o meu ano de 2015 com apenas 10 meses de SUP com os seguintes resultados em nove competições: Um 2° lugar; um 4° lugar em Maceió (Al) e as outras sete competições em 1° lugar.

Fale sobre sua nova parceria com a Xerife Stand Up

 

As pranchas são do modelo Fun Race, muito boas, fabricadas com foco nas competições. Leves, rápidas e estáveis.

 

Conheci o Moises (proprietário da Xerife Stand Up) em uma competição de SUP e após alguns encontros surgiu o convite para fazer uma parceria não apenas para a minha prancha, mas também para a escolinha de SUP onde trabalho. Fiquei muito feliz, pois hoje faço parte de uma equipe campeã que tem atletas em todas as categorias. As pranchas de Race da Xerife também estão com uma performance incrível e isso me deixa muito segura por saber que não precisarei me preocupar com equipamento se resolver mudar de categoria.


Você está na briga pelo título da Fun Race em 2016 e agora precisa de ajuda para competir na prova do Pantanal Extremo, que é uma prova muito importante por ser status 5 estrelas. Como as pessoas podem lhe ajudar a viajar para competir no MS?

 

Devido à crise, a coisa ficou ruim para todo mundo. Então pela primeira vez resolvi fazer uma campanha na internet para tentar arrecadar o dinheiro para custear está etapa do brasileiro que é a mais importante justamente pela a briga do titulo. Busco arrecadar R$ 2.500,00 para inscrição, passagem de avião ida e volta, hospedagem, translado RJ e translado de Campo Grande a Corumbá (MS) e alimentação. E tenho até o dia 05 de novembro para arrecadar este valor, pois tudo está na reserva.

As pessoas podem colaborar depositando diretamente na minha conta na Caixa Econômica - Conta: 28137-8 / Agência: 0559 / Operação: 023 / CPF: 05244798448 (caso necessário.)
Caso se doador for alguma empresa e deseje que a sua marca seja divulgada é só entrar em contato através do meu e-mail: patymesvi@gmail.com

 

Desde já agradeço a todos pelo apoio e incentivo!

 

Veja também
Perfil SUP Race

Perfil SUP Race

Ela é Bárbara!

Perfil SUP Race

Perfil SUP Race

O 'Animal' está de volta

Padleboard Entrevista

Padleboard Entrevista

Patrick Winkler na expectativa da M2O

Alzair Russo

Alzair Russo

A vida entre pranchas e treinos

Entrevistas

Entrevistas

Planos de 2017 para Americo & Lena

Perfil

Perfil

Perfil – Tristan Boxford

Entrevistas

Entrevistas

Entrevista - Guilherme dos Reis

Perfil

Perfil

Kauan Terra agradece 2016

Entrevistas

Entrevistas

SUP Entrevista - Lena Guimarães

Mundial de SUP

Mundial de SUP

SUP Entrevista - Caio Vaz

Atletas

Atletas

SUP Perfil – Eri Tenório

Entrevistas

Entrevistas

SUP Entrevista - Miguel Nobre

Entrevista

Entrevista

SUP Entrevista - Mauricio Thompson

Perfil

Perfil

Kauan Terra

SUP Wave

SUP Wave

Entrevista - Tom Carroll