MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Expedições
Expedição Rio São Francisco
Por Redação SupClub em 15/03/17
Pernambucanos realizam expedição de 240 km pelas águas do Velho Chico em meio às belas paisagens do rio mais importante do Nordeste brasileiro. Confira o relato e galeria de imagens.
Expedição Rio São Francisco de SUP. Foto: Arquivo pessoal.
Expedição Rio São Francisco de SUP. Foto: Arquivo pessoal.

A aventura foi durante o carnaval, partindo da cidade histórica de Piranhas (AL), iniciando  no sábado (25), com a participação de André Silva, atleta amador, militar da aeronáutica e instrutor de sobrevivência, Termício Soledade, atleta amador, capoerista, adepto ao ciclismo e Jota Neves conhecido como “ JotaSUP”  instrutor de stand up paddle.

 

A proposta seria fazer a descida de stand up paddle sem nenhum tipo de apoio terrestre, sendo auto-suficientes levando a própria alimentação e dormindo às margens do rio quando completassem uma determinada quilometragem pré-definida. 

 

“Água mineral foi o único recurso que tivemos que conseguir durante as paradas. Onde existia um povoado ou grande município, parávamos para comprar no mercadinho local e rapidamente iniciávamos a jornada de remar”, conta Jota Neves.  A escolha da data para a expedição foi justamente para aproveitar o período de carnaval e fazer a remada da descida do São Francisco até a Foz sem interrupções.

 

O "Velho Chico" apesar de sofrer com o pouco volume de água liberado pela barragem de Xingó ainda continua lindo. Águas cristalinas convidativas para o mergulho, prainhas paradisíacas e um visual incrível.

 

Cada supista levava em sua prancha uma ou duas mochilas tipo Dry Bags, quilha extra, água (o consumo de água foi de aproximadamente 6 litros por atleta/dia), um remo extra (cada) para qualquer eventualidade de um rempo partir ou quebrar, duas barracas de camping, barras de proteína como suplementação e sachês de Carb Up e repositor hidroeletrolítico. Quanto à alimentação, os remadores levaram o equivalente a alimento para 6 dias (café, almoço e janta).

 

“Optamos pela comida tipo ração americana ou ração militar pronta para uso (MRE). É possível comprar em várias lojas online especializadas de camping ou sobrevivência.  Calculamos o peso excedente aproximado em 25 - 27 kg que cada um atleta levou em sua prancha. Como não tínhamos apoio externo, decidimos por utilizar um equipamento tipo transponder ou rastreador pessoal com funções de SOS e Ajuda para  o caso de alguma necessidade”, explica Jota Neves.

 

As jornadas de remo começavam com o dia ainda escuro. Sempre a partir das 4h30 da manhã, pois, para remar no Veho Chico, o quanto antes melhor, uma vez que o vento sopra forte a medida que as horas avançam. Portanto, quanto mais cedo, maior o rendimento da remada.

A correnteza do rio é muito fraca em alguns pontos e fica mais forte quando do estreitamento das margens ou canais.

 

O vento realmente é o maior obstáculo pois começa a soprar contra muito forte, anulando a correnteza e o esforço para remar aumenta consideravelmente. Na parte da tarde é que se torna insuportável remar. O vento chega a levantar marolas de tão forte.

 

Em muitos pontos dos rio ele se torna extremamente raso,  a ponto de ser necessário descer da prancha e suspendê-la para a quilha não bater em pedras ou na areia.

 

O remadores prosseguiram como o planejado. Saindo sempre muito cedo e procurando estenter o máximo possível a remada até quando o vento permitisse. Dessa forma diminuíam em muito o trecho do dia seguinte. Sempre que alcançávam o ponto determinado que seriam os grandes municípios, eles paravam para o almoço, abastecimento de água e então seguiam avançando até encontrar um bom local para armar acampamento.

 

Existem vários locais proprícios para acampar às margens do rio. O cuidado era escolher o que melhor desse proteção contra o vento que levantava muita areia e sacudia bastante a barraca.

Durante toda a expedição  o convívio entre os atletas foi do melhor possível. Todos bastante condicionados fisicamente e com um astral super bacana e descontraído.

 

Durante todo o percurso não houve incidentes. Tudo tranquilo. Jota Neves comenta o único perrengue da expedição: “A única parte que envolveu uma certa tensão foi depois de Propriá, onde por volta das 13 - 14 horas o vento realmente chegou violento onde não conseguimos avançar e tivemos que retornar alguns kms até encontrar um local para montar acampamento e dormir. Atitude sensanta pois algums quilômetros  abaixo não teríamos um local bom para tal.”

Quanto a qualidade da água, os remadores chegaram a tomar a água do Velho Chico depois de colocar algumas pastilhas para torná-la própria para o consumo. A água com boa qualidade é a mais próxima de Piranhas, depois o rio começa a receber muito dejetos das outras cidades. Em Propriá, por exemplo, era possível sentir o cheiro forte de esgoto na primeira parada. 

 

“Percebemos que não existe uma preocupação dos municípios de tratamento sanitário e do esgoto e joga-os diretamente no rio”, lamenta Neves que, apesar dessa constatação, recomenda fortemente a aventura:

 

“Recomendamos as pessoas a conhecerem o rio e fazerem esse percurso. Exige-se muito preparo físico e em alguns momentos muita força para superar o vento. Não é uma remada fácil. Atentar para a hidratação pois o sol é escaldante e o vento sopra quente. Muita hidratação para repor os sais minerais com algum repositor hidroeletrolítico.

 

O Velho Chico está cada vez mais com o nível dágua baixo. Tivemos a oportunidade ainda de conhecer o rio vivo e bonito, mas até quando estará assim e um mistério”, finaliza.

 

Quem tiver mais interesse de saber maiores detalhes e planejamento de uma futura SUP Expedition como esta, pode entrar em contato com o Jota pelo jotalneves@gmail.com.

 

Veja também
SUP expedições

SUP expedições

Volta a Ilha do Mel de stand up paddle

Expedições

Expedições

Quatro dias de remada no paraíso escondido

Expedições de SUP

Expedições de SUP

Travessia Lagoa da Itapeva

SUP Travessia

SUP Travessia

Bart de Zwart quebra recorde mundial

Expedições

Expedições

Conexão Floripa x Austrália x Indonésia

Expedições

Expedições

Expedição SUP Paradise - Ilha do Superagui

Expedições

Expedições

120 Km remando de SUP por Santa Catarina

Expedições

Expedições

Travessia das Prainhas - RS

BIG Waves

BIG Waves

Big SUP Surfe na Laje do Jaguá

Expedições

Expedições

Conhecendo o Nordeste pela água

SUP na Bahia

SUP na Bahia

Outono na Bahia

Expedições

Expedições

Remador faz a circunavegação de Florianópolis a bordo de um SUP

Expedições

Expedições

Missão cumprida

The SUP Crossing

The SUP Crossing

Chris Bertish entra para a história dos watersports

The SUP Crossing

The SUP Crossing

Ele conseguiu!