MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Travessia do Atlântico
The SUP Crossing: Bertish chega à metade do Atlântico
Por Redação SupClub em 01/02/17
Cada vez mais próximo de ser a primeira pessoa a atravessar o Oceano Atlântico remando de SUP, Chris Bertish chega à metade do oceano Atlântico. Saiba mais.
970x545
Chris Bertish está cada vez mais próximo de atingir seu objetivo. Foto: Reprodução.

 

Nesta quarta-feira, 01 de fevereiro, Chris Bertish este completando 60 dias e cerca de 2.000 milhas percorridas em sua tentativa de ser a primeira pessoa a atravessar o Oceano Atlântico, sem suporte, remando em um stand up paddle.

 

Bertish alcançou monumental marca de 34° W de longitude no oceano Atlântico. Esta localização o coloca alinhado ao ponto mais oriental da América do Sul continental, ou seja, o remador está literalmente no meio do oceano e agora entrando no caminho direto dos ventos alísios oceânicos, que ajudarão a impulsioná-lo em direção a sua meta de alcançar a costa atlântica norte-americana, agora a cerca de 2.600 milhas a oeste de sua posição atual.

 

Chris Bertish iniciou esta gigantesca empreitada em 6 de dezembro de 2016, lançando-se do continente de Agadir, Marrocos e remando em direção às Ilhas Canárias em 20 de dezembro. Como relatou ao New York Times, toda a viagem levará cerca de 4.000 milhas de mar aberto, sozinho, remando o equivalente a mais de uma maratona por dia, por mais de 90 dias.

 

Nos primeiros 16 dias da expedição, apesar de terríveis condições meteorológicas e de inúmeros desafios técnicos, Chris conseguiu quebrar o recorde mundial de SUP travessia solo e sem assistência de 300 milhas previamente estabelecido por Bart de Zwart. Chris passou a estabelecer um novo recorde mundial de remada em mar aberto, tornando-se também a primeira pessoa a remar entre o continente de Marrocos e as Ilhas Canárias. Todos os dias desde então, o remador amplia a sua marca do recorde mundial novo e já viajou mais de 1.750 milhas, alcançando 34 ° W de longitude.

 

531x421
Pela reprodução do GPS é possível avaliar a dimensão do desafio já alcançado por Chris Bertish. Foto: Reprodução.

 

Chris Bertish não é um novato no universo das grandes aventuras. Ele já realizou uma série de expedições, sendo indicado diversas vezes ao SUP Awards Top Expedition, oferecido pela revista norte-americana SUP The Mag e vencedor do troféu Nightjar Adventurer of the Year Award, em 2014, sendo eleito o “aventureiro do ano”. Chris também foi o vencedor do Mavericks Invitational em 2010, que é um dos mais importantes campeonatos de Big Surfe do mundo.

 

Sua experiência com ondas grandes, aliada a seus muitos anos de planejamento meticuloso, preparação e navegação, juntamente com o vasto conhecimento adquirido a várias travessias atlânticas são ativos inestimáveis ??para o sucesso do SUP Crossing. Chris fazia parte da equipe Trinidad and Tobago’s, Crash Test Dummies Sailing Team, que no final dos anos 1990, que ganhou a Antigua Sailing Week, no Caribe. Este que será o mesmo local onde Chris estará terminando sua expedição, que estima-se, seja concluída nas primeiras duas semanas de março.

 

O SUP TRANSATLÂNTICO

 

 

Batizado de “ImpiFish”, o stand up paddle utilizado por Chris foi desenvolvido especificamente para essa travessia. O projeto foi inspirado nas embarcações a remo que fazem parte do desafio de remada oceânica Talisker Rowing Teams.

 

Muitos aspectos dessas embarcações foram essenciais na concepção do SUP, como a cabine estanque onde Chris é capaz de se abrigar para se proteger de tempestades. Além disso, ela está equipada com uma série de dispositivos de geolocalização e rádios para garantir que o remador seja localizado no caso de uma eventualidade.

 

Chris e a maioria dos viajantes transatlânticos definiu seu curso em uma rota aparentemente mais longa mas que, no entanto, se favorece de variáveis como correntes e ventos na direção certa. É por isso que sua marca atual é de 34 ° W de longitude no Oceano Atlântico, que o coloca diretamente nos ventos alísios e ao norte da ponta mais oriental da América do Sul.

 

Seu objetivo, além da quebra do recorde, é arrecadar fundos para a fundação sul africana LunchBox, que cuida  de crianças carentes em seu país e chamar a atenção da comunidade internacional para a importância da preservação dos oceanos.

 

Doações para a travessia podem ser feitas através do link: thesupcrossing.com/donate/

 

ACOMPANHE A AVENTURA AO VIVO

 

Para acompanhar a jornada de Chris ao vivo clique AQUI.

 

MATÉRIAS RELACIONADAS:

 

Começa a travessia do Atlântico de SUP 

 

New York Times destaca a travessia de SUP do Atlântico

 

Nova tentativa de atravessar o Atlântico remando de SUP anunciada

 

Sul africano cruzará o atlântico remando em um SUP

 

Chris Bertish bate recorde mundial de SUP em mar aberto

 

Um mês remando no oceano

 

Veja também
SUP expedições

SUP expedições

Volta a Ilha do Mel de stand up paddle

Expedições

Expedições

Quatro dias de remada no paraíso escondido

Expedições de SUP

Expedições de SUP

Travessia Lagoa da Itapeva

SUP Travessia

SUP Travessia

Bart de Zwart quebra recorde mundial

Expedições

Expedições

Conexão Floripa x Austrália x Indonésia

Expedições

Expedições

Expedição SUP Paradise - Ilha do Superagui

Expedições

Expedições

120 Km remando de SUP por Santa Catarina

Expedições

Expedições

Travessia das Prainhas - RS

BIG Waves

BIG Waves

Big SUP Surfe na Laje do Jaguá

Expedições

Expedições

Conhecendo o Nordeste pela água

SUP na Bahia

SUP na Bahia

Outono na Bahia

Expedições

Expedições

Remador faz a circunavegação de Florianópolis a bordo de um SUP

Expedições

Expedições

Missão cumprida

Expedições

Expedições

Expedição Rio São Francisco

The SUP Crossing

The SUP Crossing

Chris Bertish entra para a história dos watersports

The SUP Crossing

The SUP Crossing

Ele conseguiu!