MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Foil Board #4
Raio - X do Foil
Por Alex Araujo em 13/09/18
No especial desta semana tiramos as principais dúvidas sobre as aplicações e como usar o Foil.
1280x666
Raio -x do Foil. Foto: Divulgação

 

No especial sobre Foil desta semana, o santista Fernando Mizo um dos precursores do esporte, nos fala sobre a diferença entre os tamanhos de asas e suas aplicações.

Confira:

Diferença e tipos de asas

O foil é formado por 4 partes. 2 asas, mastro e fuselagem.   Os mastros e fuselagem podem ser desmontáveis ou integrados, de carbono ou de alumínio, titânio, etc. Já as asas podem ser shapeadas em espuma, podem ser feitas em forma, cortadas em CNC, enfim são muitas as possibilidades de se fazer um foil.

Sabendo que cada um tem uma aplicação, qual melhor tamanho de quilha para cada condição?

Imagina se que quanto maior a asa mais sustentação, é preciso encontrar a relação certa do peso de cada rider, tamanho da prancha, condições a serem surfadas e tamanho das asas. São variáveis que precisam ser equilibradas.

864x1152
Raio -x do Foil. Foto: Divulgação

 

O tamanho do mastro influencia na performance da prancha?

 

O tamanho do mastro influência sim, também é outra parte do foil que pode ser alterada conforme as condições. Dias de swell grande é legal usar mastro maior, também nos downwind com condições extremas o mastro grande também é muito bom. Já para surfar no dia a dia os mastros entre 55 e 70 são os ideais.

677x562
Raio -x do Foil. Foto: Divulgação

 

Sobre as pranchas estamos vendo que cada vez mais estão ficando menores qual a principal diferença entre os tamanhos e suas aplicações?

 

As mini boards são demais, o foil permite que se use pranchas muito pequenas devido a sustentação que é gerada, quanto menor a prancha, mais lift. O ideal são pranchas bem pequenas, porém com bastante volume para ter uma boa remada. 

No caso do downwind qual melhor combinação de equipamento?

Depende muito da condição, mas com certeza asa grande é o ideal. É legal também ter uma prancha confortável para remar e conseguir dar o lift rápido e sem gastar muita energia.

864x1152
Raio -x do Foil. Foto: Divulgação

 

E em relação as bigwaves qual o equipamento que você já usou e que achou mais funcional?

 

Nunca tive muita experiência com ondas muito grandes. Surfei com o Everaldo Pato Teixeira na garganta do diabo em um dia de 6 pés. Usei um equipamento que nunca tinha usado, era um mastro de 110cm com uma prancha e asas bem pequenas. Foi uma experiência irada. 

960x1280
Raio -x do Foil. Foto: Divulgação

 

Qual a dica de equipamento você dá aos novos adeptos?

 

A dica na verdade é escolher o tamanho de asa ideal para o peso de cada um.

Na iniciação uma prancha grande pode trazer mais segurança e conforto, conforme a pessoa for evoluindo pode se diminuir a prancha e tentar mudar as asas para entender como tudo funciona.

 

Veja também
The Canary Project

The Canary Project

Sup Surfing na Gran Canária

CBSurf

CBSurf

Presidência em xeque

Palm Springs

Palm Springs

Nova piscina a caminho

Mar Egeu

Mar Egeu

Aegean Classics

Maverikcs

Maverikcs

Outro lado da fera

Cloudbreak

Cloudbreak

Keahi de Aboitiz

Jorge Vicente

Jorge Vicente

Shaper falece no Sul

Recife artificial

Recife artificial

Projeto avança em Maricá

Big SUP

Big SUP

Diversão em Makaha

Wipeout of the Year

Wipeout of the Year

Caio Vaz entra na disputa

Deep Blue

Deep Blue

Gigante cruza o Havaí

Litoral brasileiro

Litoral brasileiro

As ondas mais raras

Noah Pronk

Noah Pronk

Parafina ecológica

Tubarão Touro

Tubarão Touro

Animal é capturado

CBSurf

CBSurf

Briga pelo comando

Hawaii

Hawaii

SUP nas big waves