MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Pódio made in Brasil
Canoa brasileira vence prova
Por Alex Araujo em 10/10/18
O Canadá que foi de certa forma o berço da Va’a no Brasil e teve recentemente uma canoa “made in Brazil” no pódio.
Ron Treinando em SudBury ,Canoa Lokahi: Ron Williams
Ron Treinando em SudBury ,Canoa Lokahi: Ron Williams
1200x1600
Canoa Lokahi: Ron Williams

 

O brasileiro canadense, Ron Zander Williams, que levou Lanakila para o Brasil em 2000 competiu com uma equipe formada por remadores de Dragon Boat e Marathon Canoe.

Ron que voltou a morar no Canadá em 2015 levou junto com a sua mudança a Canoa Lokahi, uma Bradley Lighting tripartida fabricada pela Halau.

 

O evento com percurso de apenas 15 Km contou com 12 Va’a categoria “spec” (Bradleys, Mirages, Force Fives etc) e 4 Unlimited.

 

No dia anterior à prova um tornado categoria EF3 com ventos de até 220km/h varreu a região o que tornou o Rio Ottawa numa aventura equiparável à uma prova em mar aberto.

Os ventos no início da manhã ainda superavam os 80km/h. Ondas de até 6 pés tornavam o Rio Ottawa num mar de carneiros. Mesmo assim a prova teve sinal verde. O circuito triangular ofereceu um ótimo downwind, e como sabemos as Bradley adoram essas condições. Em contrapartida as canoas Unlimited já tiveram dificuldade em manter seu rumo no upwind e crosswind e não tiraram tanto proveito do downwind. Mesmo assim o tempo das Unlimited foi em média 4 minutos mais rápido que a equipe da Bradley brazuca com o tempo de 1h15’02”.

Há 12 anos afastado das competições, Ron decidiu retomar a sua presença no esporte de equipe após recuperar e restaurar Lanakila que havia sido destruída nas pedras do canal da Joatinga.

1200x1600
Canoa Lokahi: Ron Williams

 

O trabalho com a equipe canadense e a canoa brasileira começou este ano na cidade de Sudbury. Sudbury conta com uma ótima estrutura de canoagem, porém a Va’a foi novidade.

 

O Canada tem uma longa e vasta tradição em canoagem e várias modalidades que abrangem não só as categorias olímpicas, mas Dragon Boat, Va’a, War Canoes e outras associadas às culturas indígenas e mercadores de peles dos séculos 17 a 19. É o país com a maior quantidade de lagos e rios no mundo e é banhado por 3 oceanos. Mesmo o frio intenso não intimida os canoístas que praticam o esporte até mesmo no inverno quando são feitas provas com “portage” sobre o gelo em Montreal por exemplo.

 

1600x900
Porvas de Portage : Ron Williams

 

Algumas equipes de Dragon Boat chegam a equipar as embarcações com lâminas de aço nos cascos como se fossem patins de gelo e usam bastões de madeira com pinos de aço como remo.

 

Pra canoístas apaixonados não existe tempo ruim.

Lokahi marcou sua presença da forma mais tradicional possível , Ron fez questão de fazer a tradicional amarra diamante com cabos de algodão ao invés de usar câmaras de pneu.

Aloha!!

Veja também
Lokomaikaii

Lokomaikaii

Nunca pule uma canoa havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

A banalização dos acidentes de remo.

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Mistério da Banana na Canoa

Va’a nos seus sentidos

Va’a nos seus sentidos

Inclusão pela Canoa Havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

Surf de Canoa: Emoção e Perigo

Rumo Norte Expedições

Rumo Norte Expedições

Rio Arapiuns

Mestre do mar

Mestre do mar

Riscos nos esportes a remo

POA VA'A e Sava Clube

POA VA'A e Sava Clube

Movimenta Zona Sul

Lokomaikaii

Lokomaikaii

“Com quantos paus se faz uma canoa?”

Instituto São Sebá Va'a

Instituto São Sebá Va'a

Va'a com saúde

IMUA Ceará

IMUA Ceará

Downind de OC4

Copa Va'a

Copa Va'a

Cultura havaiana no Rio

Mestre do mar

Mestre do mar

Navegando Legal

Expedição Kaleopapa

Expedição Kaleopapa

Volta á Ilha dos Frades

Superando Limites

Superando Limites

Cauê Serra

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Batismo de canoas