MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
V1 RJ
Evento foi um sucesso.
Por Alex Araujo em 03/10/18
Prova exclusiva de canoa V1 realizada em Itaipu, Niterói-RJ, no dia 29 de setembro de 2018.
1280x853
V1 RJ. Foto: Divulgação

 

Este sábado aconteceu a V1R ,prova exclusiva de canoa V1. Tivemos 30 pré-inscritos e 20 remadores confirmados que participaram da prova. Sendo 18 homens e 2 mulheres.

O Campeão da prova foi o Carlos Ribeiro (Chinês) e das mulheres a Raysa Ribeiro.

A largada foi já um diferencial, pois os atletas alinharam as canoas na areia e ao sinal , correram para água, normalmente as canoas se alinham dentro d’água.


1280x853
Carlos Ribeiro (Chinês) e Raysa Ribeiro, V1 RJ. Foto: Divulgação

 

Após 800m, a parte mais perigosa da prova, um canal entre a Ilha da Menina e o Morro das Andorinhas, onde os remadores só podem passar em  3 ou 4 canoa lado a lado beirando as pedras. Foi bem frisado este assunto no Briefing para que TODOS aliviassem uns aos outros, até porque teríamos ainda 20km pela frente e não seria este o momento decisivo na prova. 

 

1280x853
Fabinho Valongo,V1 RJ. Foto: Divulgação

 

Tudo correu bem, mas ainda dois remadores viraram a canoa neste canal perdendo um pouco mais de tempo.

Após esta parte os remares seguiram em direção a Itacoatiara pegando um vento contra leve e fizeram boia na altura do Costão. Partiram então em direção a Ilha do Pai, onde tiveram a parte mais difícil.

“Havia uma correnteza fortíssima  no canal entre a Ilha da Mãe e Ilha do Pai que jogava a canoa  para fora e  ficava muito complicado mantê-la  na direção certa. Até os mais experientes tiveram dificuldade nesse trecho. E foi nesse momento que tivemos duas desistências. (estes remadores voltaram para a largada em segurança).

1280x853
Dudu Valongo,V1 RJ Foto: Divulgação.

 

Passando esta parte muitos conseguiram surfar e aproveitar a ondulação e vento de Leste que empurrava para a costa em direção a Praia de Piratininga. Mas ao fazer a volta na Ilha de Veado,  iniciou ali um trecho de grande dificuldade com  vento forte contra, e mais 6km assim até a chegada em Itaipu.

 

A prova contou com a segurança de um barco circulando todo o percurso e de uma canoa OC6 que foi para pontos estratégicos e mantinha comunicação por celular com o barco de apoio e o pessoal em terra.

1280x853
V1 RJ. Foto: Divulgação

 

O Atleta vencedor, Carlos Ribeiro ao receber o troféu, trazido do Hawaii, ainda complementou:

Foi uma grande prova e gostaria de agradecer aos organizadores pois é este tipo de prova que une não só a V1 mas sim o Va’a no Rio de Janeiro. Tivemos uma dificuldade de corrente e vento forte, mas na V1 é isso, não adianta você brigar com ela e nem com o mar, a importância de fazer o leme da sua canoa está aí!

 

Na feminina, a primeira a cruzar a linha de chegada foi a Patrícia Bevilaqua, porém infelizmente ela fez um trajeto diferente que o determinado e o primeiro lugar ficou com a Raysa Ribeiro, consagrada campeã feminina.

1280x853
V1 RJ  Foto: Divulgação

 

Raysa – “Foi um provão! Com 22km de muita raça e muitas condições diferente, prova longa com vento de popa, de proa de través, com surf, com calmaria, com choro, com sorriso e com muita superação. Quantas coisas lindas aprendi nessa prova e fiquei muito honrada em remar do lado de tanta gente que admiro, que venha V1RJ 2019!”

 

1280x853
V1 RJ Foto: Divulgação.

 

Eu e Fabiano, como organizadores, acreditamos que alcançamos nosso objetivo. Conseguimos realizar um aprova exclusiva de V1, onde nosso maior objetivo era unir e fomentar esta modalidade do Va’a em nosso estado. Pensamos neste formato que o remador pudesse fazer uma remada longa passando por muitos pontos de nossa cidade, Niterói, e sabíamos que encontrariam uma grande variedade de condições. E no estilo das provas do Hawaii, na cerimônia de premiação oferecemos uma macarronada á vontade para todos os atletas com direito a bebidas! Este foi nosso foco, transformar toda a renda da prova, que não foi muita coisa, para o benefício do atleta.

 

1280x853
V1 RJ. Foto: Divulgação

 

Além de termos novos remadores aderindo a esta modalidade, como Gabriel Mattos, Felipe Pires, Rodrigo Fernandes, Thiago Barcellos, André Guerbatin, Lucas Paulino, que chegaram já dando trabalho aos mais antigos e nomes forte do Va’a no Rio de Janeiro, como nosso campeão no Taiti Guilherme Borrajo, o Campeão Brasileiro de OC6 Igor Oliveira, o campeão brasileiro de OC1 Mauro Fernandez, e claro, aqueles já consagrados de longa data como Marcelo Depardo e Jorge Freitas que acabou de voltar do Taiti e ainda emendou ao chegar à competição: Cara, parece que estou no Taiti, tantas canoas V1 e essa vibe tá demais!”

 

Nossa expectativa é de poder contar com apoio de algumas empresas para que em 2019 possamos fazer uma etapa onde possamos oferecer ainda mais aos atletas.

Obrigado a cada remador que participou da V1RJ 2018...e nos vemos na V1RJ 2019!

 

ALOHA!!

Veja também
Lokomaikaii

Lokomaikaii

Nunca pule uma canoa havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

A banalização dos acidentes de remo.

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Mistério da Banana na Canoa

Va’a nos seus sentidos

Va’a nos seus sentidos

Inclusão pela Canoa Havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

Surf de Canoa: Emoção e Perigo

Rumo Norte Expedições

Rumo Norte Expedições

Rio Arapiuns

Mestre do mar

Mestre do mar

Riscos nos esportes a remo

POA VA'A e Sava Clube

POA VA'A e Sava Clube

Movimenta Zona Sul

Lokomaikaii

Lokomaikaii

“Com quantos paus se faz uma canoa?”

Instituto São Sebá Va'a

Instituto São Sebá Va'a

Va'a com saúde

IMUA Ceará

IMUA Ceará

Downind de OC4

Copa Va'a

Copa Va'a

Cultura havaiana no Rio

Mestre do mar

Mestre do mar

Navegando Legal

Expedição Kaleopapa

Expedição Kaleopapa

Volta á Ilha dos Frades

Superando Limites

Superando Limites

Cauê Serra

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Batismo de canoas