MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Canoagem Polinésia
Missão cumprida na V6!
Por Redação SupClub em 08/01/18
Após 430 quilômetros de remada percorridos em 12 dias, Expedição Anamauê de canoa polinésia é concluída nesta segunda-feira em Santos (SP). Saiba mais.
960x720
Missão cumprida! Francisco Viniegra, Lucas Miom, Ubajara Barbosa, Caio Guerra e Zé Paulo concluem o desafio após 12 dias de remadas a bordo de uma V6. Foto: Reprodução.

 

Um grupo formado por seis remadores de Niterói, Rio de Janeiro, Santos (SP), Ubatuba (SP) e São Paulo (SP) bateram, esta semana, o recorde nacional de navegação de canoa polinésia no Brasil, durante a Expedição Anamauê concluída nesta segunda-feira (08) em Santos (SP).

 

O ponto de partida foi a Praia de Icaraí, em Niterói (RJ), no dia 27 passado, e a chegada, em Santos, cumpriu o cronograma programado, totalizando 12 dias de viagem e cerca de 430 quilômetros percorridos.

 

O grupo é formado pelo niteroiense Douglas Moura, que participou da Expedição da Independência, em setembro, com a marca de 170 quilômetros, de Conceição de Jacareí (RJ) até Ubatuba; o carioca Francisco Viniegra; e os paulistas Lucas Miom, Ubajara Barbosa, Caio Guerra e Zé Paulo, um dos integrantes da expedição que ostentava o recorde brasileiro com 290 quilômetros entre Paraty e Santos.

 

960x720
Momento de descanso em uma das paradas, em Ubatuba (SP). Foto: Reprodução.

 

Seguindo em uma canoa polinésia modelo V6, sem revezamento e sem barco de apoio, os atletas remaram entre três e oito horas diárias, variando de 30 a 60 quilômetros por dia.

 

O trajeto escolhido pela Expedição Anamauê — palavra que significa irmão em tupi e foi escolhida por representar o laço de amizade entre os atletas — passou por fora da Ilha Grande até Ubatuba e depois em direção a Santos. Foram dez pontos de parada no total: Guaratiba; depois Palmas, Aventureiro e Praia do Fora, na Ilha Grande; Martins de Sá, em Paraty; e, já em águas paulistas, seguiu por Ilha do Tamanduá, Perequê, Paúba, Ilha do Montão, Praia Branca, no Guarujá, e finalmente Santos.

 

Nesses locais, eles tiveram o apoio de moradores para dormir e se alimentar. Mas levaram na bagagem barracas de camping, água e comida para alguma eventual emergência.

 

A logística foi planejada desde setembro. Foram realizadas reuniões semanais via Skype. Cada um treinou individualmente, mas participaram ainda de uma competição, a Conquista da Coroa, uma volta por Ilhabela (SP), de 90 quilômetros, dia 2 de dezembro. A equipe ficou em segundo lugar.

 

É possível acompanhar os melhores momentos da expedição na conta do Instragram @anamauevaa.

 

Parabéns guerreiros!

 

Fonte: O Globo

Veja também
Paracanoagem

Paracanoagem

Paracanoistas fazem curso de habilitação em Brasília

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

15ª edição do VISA rola em março

Canoagem

Canoagem

Susto no Havaí

Sul-Americano de Va'a

Sul-Americano de Va'a

Capixabas levam a supermaster

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Expedição Alcatrazes de Va’a

Canoagem

Canoagem

Mundial de Canoagem Oceânica

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Hawaiki Nui Vaa 2017

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Ítalo Va’a rumo ao Sul-Americano

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Festa do Va’a no Rio de Janeiro

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Red Bull Wa’a vence a 65ª Molokai Hoe

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Passaúna Paddle Club batiza novas canoas

Competições

Competições

Show de remos em Vitória

Canoagem

Canoagem

Inscrições abertas para a Volta à Ilha de Vitória

Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Lições taitianas

Canoagem

Canoagem

Competição épica encerra o Mundial de Va'a no Taiti