MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Expedição Kaleopapa
Navegar é preciso.
Por Alex Araujo em 09/10/18
Frank Faro desbrava a Ilha de Bom Jesus dos Passos.
Aves marinhas, Expedição Kaleopapa Foto: Divulgação.
Aves marinhas, Expedição Kaleopapa Foto: Divulgação.

A expedição do clube Kaleopapa, ocorrida no dia 06/10 (sábado), teve saída da Ribeira, às 8 horas, com destino a Bom Jesus dos Passos. O dia estava perfeito, sol ameno, mar liso e vento e mare a favor do percurso. A equipe, coordenada pelo Capitão Frank Faro, estava motivada e preparada para zarpar.


Os banhistas, atletas e transeuntes, que passavam pela praia da Ribeira, faziam pequenas pausas das suas respectivas atividades, para olhar, seja por curiosidade ou afinidade, a saída da canoa da praia da ribeira, caracterizada por ser uma praia lamoso e de areia levemente cascalhosa com presença significante de moluscos marinhos.

2816x2112
Neves. Ilha de Maré, Expedição Kaleopapa Foto: Divulgação.

 

Após, 14 km de remada, foi feita a primeira pausa, na Ilha de Maré, na localidade conhecida como Neves, onde foram comprados doces de banana na palha típicos da região, para repor a energia da equipe. Revigorados, os remadores do clube Kaleopapa, seguiram dando a volta por trás da Ilha de Maré, passando pelas localidades de Engenho de Maré, Fazenda, Botelho, Oratório, Bananeiras, Porto dos Cavalos, Maracanã e Martelo, dispostas em uma extensão de 8 km.

Saindo da Ilha de Maré, no sentido de Madre de Deus, após 2 km de remada, foi avistada uma laje pouco exposta de relativa dimensão, onde houve a segunda parada para hidratação e alimentação da equipe. Na reta final da expedição, a equipe Kaleo se deparou com a bela igreja do Loreto, construída em 1645, na Ilha dos Frades, sendo possível contemplar sua beleza de perto. A canoa Kaleopapa, após 33 km de remada, enfim chega ao seu destino final, a Ilha de Bom Jesus dos Passos, às 13 horas, de forma pacifica e exitosa, totalizando 5 horas de expedição.

2816x2112
Bom Jesus dos Passos, Expedição Kaleopapa Foto: Divulgação.

 

Durante todo o percurso, garças e gaivotas, complementavam o cenário rico de belezas naturais, avistadas ao longo do exuberante manguezal, praticando a tarefa diária da sobrevivência, na captura dos peixes, visivelmente identificados, na lâmina d’água tipicamente clara das águas da Baia de Todos os Santos, conhecida por Kirimure.

Por: Priscilla Malafaia

Veja também
Lokomaikaii

Lokomaikaii

Nunca pule uma canoa havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

A banalização dos acidentes de remo.

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Mistério da Banana na Canoa

Va’a nos seus sentidos

Va’a nos seus sentidos

Inclusão pela Canoa Havaiana!

Mestre do Mar

Mestre do Mar

Surf de Canoa: Emoção e Perigo

Rumo Norte Expedições

Rumo Norte Expedições

Rio Arapiuns

Mestre do mar

Mestre do mar

Riscos nos esportes a remo

POA VA'A e Sava Clube

POA VA'A e Sava Clube

Movimenta Zona Sul

Lokomaikaii

Lokomaikaii

“Com quantos paus se faz uma canoa?”

Instituto São Sebá Va'a

Instituto São Sebá Va'a

Va'a com saúde

IMUA Ceará

IMUA Ceará

Downind de OC4

Copa Va'a

Copa Va'a

Cultura havaiana no Rio

Mestre do mar

Mestre do mar

Navegando Legal

Expedição Kaleopapa

Expedição Kaleopapa

Volta á Ilha dos Frades

Superando Limites

Superando Limites

Cauê Serra

Lokomaikaii

Lokomaikaii

O Batismo de canoas