MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
Taiti 2017
Por dentro da Te Aito 2017
Por Igor Lourenço Oliveira em 26/06/17
Direto do Taiti, igor lourenço oliveira relata sua experiência de participar da Te Aito 2017 e também como foi o 'treino de sonhos' ao lado do amigo e legend Rete Ebb, leme da Edt Va'a. Confira.
Igor Lourenço Oliveira. Taiti 2017. Foto: Reprodução.
Igor Lourenço Oliveira. Taiti 2017. Foto: Reprodução.

Quinta feira, dois dias antes da Te Aito recebi um convite irrecusável: fazer um downwind com ventos de 40 km/h com Rete Ebb, leme da Edt Va'a, 1x campeão da Te Aito e 3x campeão da Super Aito. Oportunidade incrível e irrecusável de remar com um ídolo!

 

Fizemos um upwind por dentro do recife durante 45 minutos, andamos a mais ou menos 5 km/h de tão forte que estava o vento. Saímos do recife com muita cautela, pois o mar estava bem grande e a passagem para o outside era estreita, então começamos nosso downwind na companhia de Ky Webb (campeão Junior da Austrália) e Lono Teururai (voga da EDT Va'a).

 

 

Logo de cara, Rete disparou. Foi incrível observar a facilidade com que surfava as ondas, ele não cometia sequer um erro. Depois de 15 inacreditáveis minutos chegamos ao local de onde saímos com uma média de mais de 14 km/h e muitas ondas surfadas. A experiência foi incrível e só tenho a agradecer ao Rete por toda a atenção e emprestar a canoa. Ele é um exemplo de humildade, assim como Ky e Lono.

 

Muitas pessoas não teriam feito uma remada dura como essa faltando apenas duas noites para a prova mais importante da vida, mas eu não hesitei, pois, foi uma oportunidade única. Fui dormir moído e acordei um pouco cansado na sexta, mas fui remar com o Team Raira.

 

Fizemos um treino bem curto, com apenas 5 tiros. Esse treino foi bom para eu conhecer a canoa que eu usaria, uma Fai Va'a. A princípio eu usaria uma Raira mas os reparos que precisavam ser feitos na canoa não foram finalizados a tempo.

 

 

No sábado, dia da prova, tomei um café da manhã reforçado, com macarrão e batata e fomos para a base da Raira. Todo o time arrumou as canoas e partimos juntos para o local da largada. Todos da equipe estavam concentrados, mas tranquilos, menos eu... Tenho de admitir que estava muito nervoso e isso não acontecia há alguns anos. Os taitianos até brincaram comigo "Ei, Igor, você está há mais de 30 minutos sem falar". Era o Nervosismo!

 

Quando chegamos ao local da prova vi uma infinidade de canoas, incrível! Alinhamos e quando olho para o lado direito acho meu companheiro de Rio Va'a, Reginaldo Birkbeck. Ficamos juntos na largada esperando a bandeira verde. Do nada, todos começam a remar, fomos juntos, mas era apenas uma falsa largada, após isso mais trabalho para alinhar mais de 400 canoas e muita tensão. Acabei ficando na primeira linha, o que é bem difícil, pois, os melhores remadores locais acabam tomando esses lugares. Acredito que pensaram que eu era local e me deixaram ali, porém achei mais prudente me afastar a fim de evitar acidentes na largada e respeitar os demais.

 

Após o sinal temos aquela tradicional confusão de largada, muitas canoas na frente, atrás e dos lados, além das ondas dos barcos que auxiliavam e em outros momentos atrapalhavam. Após a primeira boa, 6 km depois as canoas iniciaram o downwind e começaram a se dispersar.

 

DOWNWIND - Fiquei mais calmo e passei muitas canoas no downwind e após mais uma volta, fim de prova, muita gente na areia e dentro da água com barcos, uma festa sensacional. Estrutura muito boa, com barcos de apoio e jetskis, total segurança. Apesar da confusão inicial da largada, o que é completamente normal para a maior largada da história, a prova teve uma estrutura excelente, contendo tudo que o atleta precisa: barcos de apoio, segurança e alimentação. Nada muito luxuoso, mas tudo muito eficiente nessa prova que parece a Maratona do Rio de Janeiro ou a São Silvestre.

 

Vale destacar a participação de todos os atletas brasileiros. A grande maioria de nós foi pela primeira vez e todos completaram suas provas, grande destaque para a Mônica e para o Chinês. Quanto aos atletas da Open masculina, eu, Reginaldo e Cauê terminamos bem próximos e todos Entre os 20 melhores da prova, excetuando os taitianos. O que isso significa? Significa que os taitianos estão em outro nível, todos que competiram remam bem e também significa que podemos evoluir mais, podemos chegar em melhores posições e depois de mais algum tempo de treino e experiência podemos chegar entre os 100 primeiros.

 

Quem está na dúvida se vale correr esta prova, venha! Você não vai se arrepender. A experiência é incrível, todos que fizeram gostaram muito.

Veja também
Canoagem Polinésia

Canoagem Polinésia

Lições taitianas

Canoagem

Canoagem

Competição épica encerra o Mundial de Va'a no Taiti

Canoagem

Canoagem

Mundial de Va’a chega à reta final

Canoagem

Canoagem

Mundial de Va’a: Taiti mostra sua força e Brasil apresenta evolução

Canoagem

Canoagem

Mundial de Va’a: Nova Zelândia fica com o ouro e Brasil faz bonito

Canoagem

Canoagem

Te Aito 2017: Participação Brazuca e show de Kevin Jérusalemy

Taiti 2017

Taiti 2017

Treinos e abertura da Te Aito

Direto do Taiti

Direto do Taiti

Na expectativa para a Te Aito e Mundial de Va’a

Taiti 2017

Taiti 2017

Chegada ao Taiti

Canoagem

Canoagem

Canoa Bahia brilha na França

Canoagem

Canoagem

Brasileiros na maior prova de Va’a da Europa

Canoagem

Canoagem

Entrevista – Igor Lourenço Oliveira

Canoagem

Canoagem

A história do surfe de canoa polinésia

Canoagem

Canoagem

Novidades no horizonte do Va'a

Canoagem

Canoagem

Brasileiro de V1, V1R e V2R