MENU COMPETIÇÕES GUIA WAVESCHECK
SUP Dicas
Acampar numa SUP Trip
Por Andre Torelly em 18/01/17
Combinar uma remada mais longa com camping é, sem dúvida, uma aventura inesquecível. Porém, para que tudo saia bem, é necessário muito planejamento e cuidados essenciais. Confira as dicas de André Torelly.
2000x1333
Acostumado a expedições e remadas mais longas, Andre Torelly normalmente leva consigo uma barraca. Foto: Arquivo Pessoal.

 

Desde que comecei a viajar de SUP, acampei muitas vezes entre uma remada e outra, o que é uma coisa muito bacana de se fazer desde que bem planejada. Quando converso sobre minhas expedições, são comuns as perguntas sobre como levar os equipamentos, segurança do local escolhido, a barraca certa, entre outros detalhes importantes.

 

A primeira coisa é preparar o SUP para levar os equipamentos. A prancha, para transportar o que você precisa, deve ter preferencialmente um suporte com rede na área do bico para fixar a sua bagagem, que deve vir estocada, preferencialmente, dentro de uma bolsa impermeável.

 

Mesmo que a remada for realizada em uma lagoa, é muito arriscado transportar suas coisas sem nenhum tipo de fixação. Pois, quanto mais peso em cima da prancha, mais instável ela fica e, consequentemente, mais suscetível a sofrer com intempéries como rajadas de vento ou a uma ondulação criada pela passagem de uma embarcação próxima a você. Fique atento também à flutuação do Stand Up, que deve ser adequada para aguentar o seu peso e o peso dos equipamentos. Se a prancha flutuar bem com todo o peso em cima, pode ser de qualquer modelo, da Race à Fun race, desde que tenham uma boa estabilidade e que permitam remar sem que os equipamentos atrapalhem você. Lembrando aos mais interessados que existe no mercado o modelo “Cruiser”, que é desenvolvido exatamente para quem pretende realizar expedições de SUP.

 

Mas lembre-se de que a escolha da barraca também é muito importante. Leva em conta a temperatura do local onde você irá ficar. Parece óbvio, mas é bom frisar: lugares frios exigem uma barraca mais reforçada. Quando fui para o sul do Chile cometi um grande erro e levei uma barraca comum, como se fosse acampar no verão. Logo na primeira noite, ainda no caminho, acampei no Uruguai e passei muito frio com a temperatura chegando aos 5° graus. Aprendi a lição da pior maneira, não conseguindo dormir e a minha única opção foi comprar uma barraca adequada para onde eu estava indo.

 

Uma barraca bem resistente tem costura selada, capa impermeabilizada para a coluna de água de uns 2.000 mm e proteção UV 50 (o sol deteriora muito a barraca por isso a importância da proteção UV).

 

2000x1333
No caso de uma remada mais longa, acampar é uma experiência que lhe garante um contato maior e mais intenso com a natureza. Foto: Arquivo pessoal.

 

Caso sua barraca não tenha costura selada, uma forma de improvisar uma proteção contra chuva é utilizando lonas plásticas. Coloque a lona plástica por cima da barraca certificando-se que ela tenha tamanho suficiente para cobrir toda a barraca até o chão, prenda a lona com espeques (estacas) deixando um espaço entre a lona e a barraca para circulação de ar. Por outro lado, com a lona, você aumentará a quantidade de objetos transportados. Então, faça as contas e decida o que será mais vantajoso fazer na sua expedição.

 

Eu gosto de levar as barracas tipo iglu, de dois ou quatro lugares, pois são mais fáceis de carregar e montar, e o melhor é que cabem em qualquer lugar.

 

Para as noites de sono muita gente não se dá muito bem somente com os sacos de dormir. Eu prefiro uma combinação com os colchões infláveis ou esteiras de dormir isolantes, feitas de EVA, que são fáceis de transportar e isolam a umidade do solo. Assim, os sacos, que são mais leves e mais fáceis de limpar do que cobertores, mantém melhor o calor do corpo e não retém umidade nos períodos de frio.

 

A alimentação talvez seja a parte mais complicada principalmente para quem pretende acampar sozinho, pois você precisará de espaço na prancha para uma panela, uma frigideira pequena e um fogareiro de camping se não dominar a arte de fazer fogueiras. Então, se não há espaço na prancha para transportar tanta bagagem, reconsidere os dias em que pretende ficar acampando e leve consigo alimentos semi-prontos, enlatados, isotônicos e, claro, água.

 

Por fim, estude com muita atenção o lugar onde pretende passa a noite tomando como base a sua segurança e a vida selvagem do lugar. Se for em um camping, sem problemas, mas se for em uma área de parque, por exemplo, saiba quais são os animais mais comuns que habitam a região e fique atento também aos eventuais gatunos, fazendo uma pesquisa sobre aquela região, se há histórico de roubos e assaltos. E se for uma região for muito remota, vale a pena trazer um equipamento portátil de geolocalização.

 

Por fim, não esqueça o protetor solar, repelente e embalagens para acondicionar as sobras de comidas!

 

Gostou das dicas? Então, saiba mais e confira nossa página de SUP Dicas! 

 

Veja também
Remada noturna

Remada noturna

5 dicas para remar durante a noite

SUP Dicas

SUP Dicas

4 erros básicos de remada (e como corrigi-los)

Reflexão

Reflexão

O que te faz feliz de verdade?

SUP Dicas

SUP Dicas

Diferenças básicas em fundos e outlines de um stand up paddle

SUP Dicas

SUP Dicas

6 alimentos que irão turbinar seus treinos

Humor

Humor

Arquétipos do stand up paddle

SUP Dicas

SUP Dicas

Dores no ombro

Guia de inverno

Guia de inverno

Testamos o Mormaii Flexxxa Neo

SUP Dicas

SUP Dicas

A importância do leash

SUP Dicas

SUP Dicas

Big SUP surfe

SUP Dicas

SUP Dicas

Remar é qualidade de vida

SUP Dicas

SUP Dicas

Crianças e os watersports

SUP Dicas

SUP Dicas

Iniciação no surfe de stand up paddle

SUP Dicas

SUP Dicas

Cartilha da etiqueta do SUP Surfista.

SUP Dicas

SUP Dicas

Cinco benefícios do Stand Up Paddle para a saúde